Quarta, 11 Julho 2018 11:57

Holanda construirá as primeiras casas com impressoras 3D

Avalie este item
(0 votos)

Projeto envolve prefeitura da cidade de Eindhoven, no sul do país, Universidade de Eindhoven e empresas construtoras. Inicialmente, serão cinco residências. Concepção artística de como serão casas holandesas University of Eindhoven/ Project Milestone Um novo projeto iniciado pela prefeitura da cidade holandesa de Eindhoven, no sul do país, facilitará a criação de um complexo imobiliário composto por cinco casas feitas com a ajuda de impressoras 3D, uma das primeiras inovações do tipo no mundo. "É só o começo. Trata-se de uma tecnologia revolucionária, de uma nova forma de construir que será desenvolvida com o tempo", diz Rudy van Gurp, um dos encarregados do projeto "Milestone".
A iniciativa foi possível graças a uma associação entre a prefeitura, a Universidade de Eindhoven e várias empresas construtoras. Embora esta técnica já exista no mundo, as casas projetadas com impressoras 3D não são em geral destinadas à moradia. Trata-se de algo inédito na Holanda, pois as casas deste novo complexo imobiliário serão alugadas. Casa do tipo geralmente não são destinas à moradia University of Eindhoven/ Project Milestone Uma centena de inquilinos já mostraram interesse. O aluguel mensal será de entre 900 e 1.200 euros (de R$ 4 mil a R$ 5400 aproximadamente), o que corresponde aos preços médios de aluguéis na Holanda levando em consideração o espaço que terão as "casas 3D". O complexo estará composto por cinco casas de tamanhos diferentes, cuja construção será financiada por investidores privados. A primeira, com três quartos, estaria pronta por volta de junho de 2019. Cada quarto requer entre seis meses e um ano de trabalho. O projeto total será concluído em até cinco anos. Uma das principais vantagens de utilizar a impressão em 3D é que esta possibilita imaginar um estilo muito livre. "Tudo é possível, podemos perfeitamente adaptar o desenho ao entorno", afirma Rudy van Gurp. Mas a iniciativa também é motivada pelo problema da escassez crescente de artesãos na Holanda. "Daqui a alguns anos já não teremos tantos artesãos como pedreiros, por exemplo. Ao introduzir a robotização na indústria da construção, estaremos em condições de fazer casas mais abordáveis no futuro", considera Rudy van Gurp. Tecnologia deve crescer e baratear, dizem criadores do projeto University of Eindhoven/ Project Milestone Embora esta técnica por enquanto seja mais cara que os métodos tradicionais, os preços baixarão à medida que a tecnologia das impressoras 3D avançar, ressaltou. Além de serem modernas, as casas impressas em 3D apresentam vantagens para o meio ambiente, consideram as autoridades de Eindhoven. "É mais duradoura do ponto de vista ecológico pois os materiais (em especial o concreto) podem ser reutilizados", indica Yasin Torunoglu, vice-prefeito da cidade. "E também é mais rápido que o método tradicional", acrescenta. Na França, uma inovação similar foi alcançada há alguns dias. Uma casa desenhada em 3D pela Universidade de Nantes já é utilizada como habitação social.
Ler 95 vezes

Usuários Online

Temos 72525 visitantes e Nenhum membro online

.......

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FENÔMENO

Cidade registra tremores de terra no Rio…

TRÂNSITO

Homem morre ao ser ejetado de carro no N…

ESTADO

Governo estadual quita nesta terça salár…

ESPORTES

TAC enfrentará o Inter pelo Estadual Juv…

ESPECIAL

Autor de disparos no centro de Três Pass…

ESPECIAL

Após calorão, alerta para risco de tempo…

TP NEWS TV

Ursinho tenta alcançar mãe em penhasco

TRÂNSITO

Areia na pista causa queda de motociclet…

ESTADO

Menino de 12 anos está desaparecido em r…

BICHOS

Pensando em adotar? Veja as raças de cãe…

BICHOS

Epidemia faz zoológico substituir pingui…

SEXO

Fernanda Lima diz que programa polêmico …