Quinta, 11 Outubro 2018 07:59

Pik Botha, chanceler sul-africano do período do apartheid, morre aos 86 anos

Avalie este item
(0 votos)

Ex-ministro foi face internacional do regime segregacionista por 17 anos e também atuou no governo de Nelson Mandela. Ele morreu enquanto dormia, nesta quinta (11). Em foto de janeiro de 1989, o então ministro das Relações Exteriores da África do Sul, Pik Botha, discursa na Conferência Internacional sobre Armas Químicas na Unesco, em Paris PIERRE VERDY / AFP O ex-ministro das Relações Exteriores sul-africano durante o apartheid, Roelof "Pik" Botha, que mais tarde atuou no governo do presidente Nelson Mandela, morreu aos 86 anos em Pretória, informou a imprensa local. Seu filho Piet Botha confirmou a notícia. Segundo ele, o pai morreu na noite desta quinta-feira (11), enquanto dormia.
Botha foi a face internacional do regime segregacionista por 17 anos, entre 1977 e até a chegada da democracia, em 1994. Mais tarde, ele integrou o governo sindical nacional do primeiro presidente negro sul-africano democraticamente eleito, Mandela, e ficou encarregado da pasta de Minas e Energia por dois anos. Em 1996, sua carreira política terminou quando o Partido Nacional (NP), que promoveu o apartheid, deixou o governo. Quatro anos depois, Botha se juntou ao Congresso Nacional Africano (ANC) de Mandela, uma formação que ele considerou durante anos como inimiga. O ex-ministro havia incentivado o regime do apartheid a libertar Mandela, o chefe histórico do ANC, em 1990. Em 1986, ele foi duramente criticado pelo presidente Pieter Willem Botha (sem parentesco) por ter declarado que a África do Sul poderia um dia ser governada por um homem negro. Em foto de outubro de 1997, o ministro das Relações Exteriores da África do Sul, Pik Botha (à dir.) cumprimenta o arcebispo Desmond Tutu em Joanesburgo. ODD ANDERSEN / AFP Botha continuou sendo um personagem controverso. Em 1990, surgiram suspeitas de que ele tinha ligações diretas com os esquadrões da morte encarregados de matar os militantes anti-apartheid. Ele também foi acusado de desestabilizar países vizinhos, como Angola, Namíbia, Moçambique, ajudando os movimentos rebeldes que lutaram contra os regimes criados após a independência desses países. O presidente sul-africano e líder do ANC, Cyril Ramaphosa, saudou nesta sexta (12) o apoio de Botha à transição da África do Sul para a democracia. O último presidente do apartheid, Frederik W. de Klerk, também prestou homenagem a um homem que "defendeu a África do Sul contra o isolamento internacional".
Ler 118 vezes

Usuários do Dia

Temos 6064 visitantes e Nenhum membro online

.......

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

TRÂNSITO

Motorista mata homem atropelado e foge d…

POLÍCIA

Adolescente levava em ônibus 32 kg de ma…

INUSITADO

Bebê nasce empelicado e imagens viraliza…

CIDADE

Hospital de Caridade de Três Passos terá…

ESTADO

Aumento da gasolina chega nos postos de …

INUSITADO

Vídeo - Mulher flagra marido com amante …

JUSTIÇA

Homem é condenado após chamar policiais …

ESPECIAL

Motorista faz ultrapassagem em local pro…

MUNDO

Mãe admite ter injetado água sanitária e…

GERAL

Mais de 3,1 milhões de infrações de trân…

MUNDO

‘Com medo de morrer, fiquei com namorada…

INUSITADO

Criança com 3,600 kg nasce em casa no in…